Facebook Twitter Instagram Feed RSS  Carrinho de compras (0)
HOME LOJA REVIEWS NOTÍCIAS GUIA DE POKER QUEM SOMOS DÚVIDAS CONTATO
 
REVIEWS

Como Vencer Torneios De Poker – Uma Mão De Cada Vez – Volume III
Obra indispensável para quem quer levar o poker a outro nível

Você está pronto para levar seu jogo a um nível totalmente diferente? Este livro desvenda o raciocínio de três das mais geniais mentes do poker online: Eric “Rizen” Lynch, Jon “PearlJammer” Turner e Jon “Apestyles” van Fleet. Essas páginas revelarão exatamente como três dos melhores jogadores de poker do mundo analisam e dissecam uma mão de poker do começo ao fim. A série Como Vencer Torneios de Poker — Uma Mão de Cada Vez é um acréscimo singular à literatura do poker. Os jogadores que lerem e estudarem essa série vão poupar tempo, dinheiro, e anos de frustração, aprendendo com a sabedoria de jogadores profissionais de torneios, com sucesso consistente.

Mão 38 (p. 185)

Blinds de 1.500/3.000, ante de 300 

Estrutura: Há duas mesas restando em um torneio noturno com $100 de buy-in. O primeiro lugar recebe $10.500, enquanto o prêmio atual para o 17° lugar é de $500. Você tem sido razoavelmente ativo na mesa, levando vários potes pequenos sem showdown, mas ainda não chegou ao showdown com uma mão ruim. O restante da mesa tem jogado um poker relativamente previsível, com os short stacks empurrando all-in com razoável frequência, mas a maior parte do restante da mesa tem jogado de forma bem tight quando não têm mãos fortes. 

[AQ] Pré-flop (6.900): Você dá raise para 7.888. A ação roda em fold até ao cutoff, que faz tudo 25.000 - um pouco mais do que três vezes o seu raise. Todos os outros jogadores dão fold.

O que você faz? 

PearlJammer 

Em muitas situações, com aproximadamente 35 big blinds, A-Qs certamente é forte o suficiente para empurrar 4-bet contra a 3-bet de um stack de tamanho semelhante ao seu. No entanto, vários fatores fazem desta uma situação para dar fold em vez de empurrar (note que pagar para jogar um pote muito aumentado fora de posição, está fora de questão). Mais importante, o meu raise foi de posição inicial, e não cheguei ao showdown com uma mão ruim. Esses dois fatores devem resultar em conseguir muito crédito por uma mão forte quando eu der raise, e eliminar quase todos os blefes da gama do meu oponente. Além disso, ele fez uma 3-bet forte, para 25K. Esse valor de aposta o compromete com o pote, e impede um empurrão do button ou do big blind, que têm mais de 20 big blinds. Ele não se comprometeria dessa forma sem uma mão muito forte. Às vezes, uma aposta deste valor indica fraqueza, mas acho que geralmente significa força, embora possa indicar que ele preferiria não ver um flop. Considerando todos os fatores, espero que a gama do meu oponente seja de TT+ e A-Qs+, tendendo fortemente a AK, embora também seja possível incluir algumas mãos um pouco mais fracas e alguns blefes. A-K é, é claro, uma mão terrível de se enfrentar, uma vez que ela me domina, e ele certamente nunca daria fold com ela diante de um all-in. Eu dou fold.

Rizen 

Considerando que os meus oponentes têm jogado um poker razoavelmente previsível, posso aplicar um pouco de raciocínio básico de terceiro nível (o primeiro nível é pensar sobre as suas cartas, o segundo, sobre as cartas dos oponentes, e o terceiro é quais cartas o seu oponente acha que você tem) para ajudar a minha tomada de decisão. Dei raise de posição inicial, o que, se o meu oponente for um jogador previsível, significa que ele deve me colocar com uma mão como par, um ás forte, talvez K-Q, e algumas outras mãos aleatórias. A minha verdadeira mão, A-Qs é representada adequadamente, pois tenho uma mão que está mais ou menos no meio da gama que ele provavelmente me atribui, senão um pouco mais forte. 

Se a minha mão estiver representada de forma certa, e ainda assim ele está disposto a dar raise e possivelmente arriscar um confronto com um dos poucos stacks na mesa que podem lhe prejudicar, então ele não deve temer esse tipo de mão. Se este for o caso, devo considerar a gama dele como somente a parte mais forte das mãos. Isso provavelmente incluiria uma gama como TT+/A-K/A-Qs, que acaba comigo; uma calculadora de odds de poker me mostra que tenho odds de aproximadamente 35,6% contra essa gama. Neste caso, devo dar fold. Vale a pena notar que se o meu oponente não fosse previsível, a situação poderia se alterar drasticamente. Um oponente capaz de pensar além do terceiro nível poderia perceber que um reraise nessas mesmas circunstâncias me faria dar fold com uma boa parte da minha gama, fazendo desta uma oportunidade excelente para roubar. Se o meu oponente estivesse jogando nesse nível de raciocínio, eu precisaria ajustar a minha gama de acordo. Mas, considerando a minha leitura desse oponente, de que ele seja razoavelmente previsível, esse tipo de análise não é necessária. 

Alguns jogadores podem considerar dar call, mas levando em conta a gama que atribuí a esse jogador, acho que pagar é a pior jogada possível. Considerando as mãos da gama atribuída ao meu oponente, quando eu acertar a minha mão, só conseguirei extrair um pouco de valor dele quando estiver à frente, e perderei todo o meu stack quando estiver dominado. Posso ser capaz de pagar em posição para jogar melhor do que ele, de vez em quando, em um flop com rei como carta mais alta quando ele tiver JJ-TT, mas, fora de posição, é muito difícil fazer esse tipo de jogada. Eu dou fold, e o meu oponente leva o pote.

Apestyles 

Sou o terceiro colocado em fichas na mesa, e dou raise para aproximadamente 2,6 vezes o big blind, de posição inicial, com A-Qs, uma mão premium. Um comentário, sendo que todos têm stacks tão pequenos, não há motivo para dar raise pré-flop de muito mais que o mínimo. A ação roda em fold até à Posição 7, segundo em fichas na mesa, que dá reraise de 3,16 vezes o meu raise. Embora A-Qs seja uma das mãos mais fortes com as quais posso abrir o pote nessa posição, acho que tenho que relutantemente dar fold com a minha mão. A Posição 7 deve ter muitos poucos blefes nessa gama de raise pré-flop, pois ele será obrigado a pagar as Posições 8 a 2 caso eles decidam entrar de all-in. Além disso, a maioria das pessoas também não escolhe dar reraise light contra jogadores que abrem o pote do UTG+1, e os que são espertos o suficiente para fazer isso, não escolheriam dar um raise tão alto.

Uma vez que determinei que ele não está blefando, devo ver as mãos com as quais ele está disposto a pagar depois de uma 3-bet. Acho que ele geralmente terá mãos como TT-KK, A-K, e às vezes A-Q na sua gama de valor, e nada mais. Francamente, em função do valor da sua aposta, acredito que a gama do vilão tende fortemente a A-K. Acho que posso descontar ases da gama dele, pois a maioria dos jogadores daria um raise menor para induzir ação, e eu tenho um ás. Só tenho 39% de equidade contra essa gama, e ainda menos se pender a gama dele para A-K. Há certa chance de que ele esteja cometendo o erro de fazer uma 3-bet com mãos como A-J e 99, com a intenção de dar fold, mas não é uma chance grande o suficiente para arriscar todo o meu stack. Eu dou fold.

 

AUTORES: Eric “rizen” Lynch, Jon “apestyles” Van Fleet e Jon “pearljammer” Turner
NÚMERO DE PÁGINAS: 242
PREÇO: R$ 84,90
DISPONÍVEL EM: www.raiseeditora.com
 

 

Card Player Brasil - Ed 94
R$14,90
3x sem juros de R$ 4,97
Card Player Brasil - Ed 114
R$14,90
3x sem juros de R$ 4,97
Card Player Brasil - Ed 100
R$14,90
3x sem juros de R$ 4,97
 

Entre em contato conosco pelo telefone 31 3225-2123 ou envie um e-mail para contato@raiseeditora.com
Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Familia - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490

NAVEGUE PELO SITE:
Home - Loja - Reviews - Noticias - Guia de Poker - Quem Somos - Duvidas - Contato - Revista Card Player Brasil
® 2007 - 2017 Raise Editora - www.raiseeditora.com       EV SSL Certificate